Ant. Prox.
Festival de Fotografia Hercule Florence

O Festival 2015

A partir desta quinta-feira, dia 1º de outubro, as ruas de Campinas ficam mais poéticas, com imagens, intervenções e olhares por todos os lados. É o início da 9ª edição do Festival de Fotografia Hercule Florence com exposições, atividades, workshops, palestras e oficinas durante todo o mês de outubro. Nem os ônibus da cidade, que compõem a paisagem urbana, vão escapar da programação. Suas partes traseiras, chamadas de busdoor, levarão 30 imagens ampliadas da cidade clicadas por dez fotógrafos da cidade: Dominique Torquato, Marcos Peron, Carlos Bassan, Adriano Rosa, Rogério Capela, Kamá Ribeiro, Nelson Chinália, Gui Galembeck, Martinho Caíres e Touché. A curadoria do projeto é de Ricardo Lima, organizador e idealizador do festival.

Na quinta-feira, 1º de outubro, a Estação Cultura, na Vila Industrial, recebe a exposição Revele Campinas, com as imagens vencedoras do concurso fotográfico homônimo promovido pelo site campinas.com.br. O evento começa às 19h30 e segue em cartaz até o dia 2 de novembro. Já na sexta-feira, dia 2 de outubro, a Galeria Sede, no Cambuí, abre a exposição O Caminho do Corpo, de Gustavo Olmos, com o resgate de arquivos analógicos de 1992 e materiais atuais, cuja vertente é a poética da vida das pessoas. No dia seguinte ( 03.10, 15hs ), Pola Fernandez inaugura a exposição Nyota- Mulheres com Turbantes, na Casa de Cultura Fazenda Roseira, no Jardim Ipaussurama.

Entre os dias 15 e 18 de outubro, o festival toma conta da Estação Cultura, com dezenas de exposições, workshops, oficinas, intervenções e palestras nos vagões, salas e plataforma do local. Destaque para a palestra sobre os 115 anos de fotografia cubana , proferida pelo renomando fotógrafo cubano Mario Dias, em seguida realiza uma série de retratos de moradores do Centro de Campinas ,que serão expostos nas janelas do Museu da Cidade.

O fotógrafo brasiliense Kazuo Kubo fará um workshop sobre fotos de nu artístico. Cineastas, fotógrafos e artistas vão transformar os três vagões da Estação em máquinas fotográficas gigantes, com a técnica pinhole e as salas da estação serão grandes salas de aula e de exibição dos resultados. Na na semana de 22 de outubro, com bate-papo, exposições e colagens de imagens até o dia 25. A programação é dinâmica, gratuita e extensa.

Confira a grade completa, bem como as informações para as inscrições nas oficinas.


Fotógrafo cubano registra Campinas para exposição

O fotógrafo cubano Mario Diaz, principal nome do 9º Festival Hercule Florence, que ocorre durante este mês em Campinas, está bem adaptado à cidade e curtindo a estada de 31 dias em terras brasileiras. Isso porque, para ele, Brasil e Cuba "são muito parecidos culturalmente" e a fotografia, apesar das singularidades regionais, "é a mesma em todo o mundo". Não é sua primeira visita ao País, tampouco a mais longa — se diz até "pontepretano" —, mas a única em que realizará uma exposição com imagens capturadas nas ruas da cidade.

A produção desse conteúdo começou no fim de semana passado e se estenderá até o dia 30 de outubro, quando ele retorna a Cuba. Portanto, os campineiros poderão encontrar Diaz por aí, transitando nas vias urbanas com sua Leica M8, câmera preferida pelos "fotógrafos-artistas" e cuja qualidade se aproxima, segundo ele, à de uma pintura. Ele a carrega por onde quer que vá, desde o primeiro clique, há 10 anos — foi com ela que ingressou na era digital. O resultado poderá ser visto a partir do dia 15 de novembro, nas janelas do Museu da Cidade (sem data definida para encerrar). Antes disso, no entanto, o fotógrafo fará uma palestra sobre o 115 anos da fotografia cubana no Sindicato dos Químicos Unificados, em 27 de outubro.

leia mais no Correio Popular

Home | O Festival | Hercule Florence | Programação | Contato - Desenvolvido por Mallmann - direitos reservados